domingo, 25 de abril de 2010

Projeto Sertão Vivo


JORNADA DAS ARTES

Jovens aprendem com o sertão

25/4/2010 Clique para Ampliar
JOVENS FAZEM trilha ecológica pela reserva de Caatinga preservada no Sítio Aroeiras, zona rural de Orós 
FOTOS: HONÓRIO BARBOSA

Clique para Ampliar
JOVENS participantes do projeto Sertão Vivo, fazem uma pintura de painel na casa mãe, no Sítio Aroeiras, zona rural de Orós. Todos deixaram sua marca com tinta e arte
As atividades de saúde e artes fazem parte do Projeto Sertão Vivo, uma ONG criada pelo músico Zé Vicente

Orós As chuvas deixaram a Caatinga verde, a plantação renasce no solo que até então estava seco. É hora de o sertanejo renovar as esperanças no inverno, ainda que tardio. É tempo de reativar as manifestações culturais na localidade de Aroeiras, área rural deste Município.

E foi com esse espírito que crianças, adolescentes e monitores estiveram reunidos na 5ª Jornada de Artes na Roça, que neste ano teve como tema central "A arte do bem viver no sertão". As atividades fazem parte do Projeto Sertão Vivo, uma ONG criada pelo músico Zé Vicente. A programação incluiu oficinas sobre saúde e de artes, com várias manifestações.

No âmbito do Programa Cuidando da Saúde, houve vivências e atendimentos à comunidade local, com assessoria das terapeutas de Fortaleza, Ana Maria Oliveira e Lourdes Carvalho, do Espaço Holístico Santa Tereza.

Aconteceu a capacitação técnica com um grupo de jovens que cultiva hortas e inicia a atividade de apicultura. "Neste ano, enfrentamos dificuldades porque, até março, houve falta de chuvas e perda das plantações", observou Zé Vicente. "O calor quase insuportável trouxe dificuldades de animação do grupo, mas conseguimos manter o evento em seu 5º ano".

O objetivo do projeto é oferecer melhores condições de vida e convívio no semiárido, para a comunidade local. "Os moradores precisam cultivar a cultura do encantamento e do cuidado com a natureza, que é a nossa grande e sagrada matriz", defende Zé Vicente, que na letra de suas músicas assume uma postura ecológica e mística.

"A arte, em suas várias expressões, é a bandeira principal, que motiva, reúne e provoca". Antes do início das atividades, Zé Vicente e Eliane Brasileiro realizaram show na cidade de Dormentes (PE). Uma força da arte solidária, cujos recursos arrecadados foram investidos na Jornada. A dupla contou neste ano com o trabalho voluntário de Dida Tomé, artista plástica, criadora de belíssimos cartões ecológicos cujo trabalho é denominado de eco-ternura; e Carlita Souza, educadora e militante social, vindas do Espírito Santo.

Oficinas

A chegada dos artistas e organizadores do evento atrairam os adolescentes que ficam ansiosos em participar das oficinas de artes. Os vizinhos são solidários. O agricultor Zé Darlô levou presentes: jerimuns de sua vazante e uma galinha caipira. ´Seu´ Amadeu mandou feijão. José e Vegiane, da equipe "Cuidando da Saúde", fizeram uma campanha na comunidade de Guassussê, entre pequenos comerciantes e amigos. O casal arrecadou e trouxe uma sacola de cereais.

Uma voluntária de Orós ofereceu uma toalha de banho que as mulheres resolveram utilizar numa rifa, que correu no encerramento da Jornada, gerando R$ 63,00.

Durante o dia, foram realizadas oficinas de canto e de confecção de cartões, com vários momentos de dinâmicas e interação conjunta. Cerca de 30 jovens participaram inquietos e atentos. "Transformamos o tema, num refrão repetido em todas as vozes, a arte do bem viver, pro sertão vivo crescer", explicou Zé Vicente.

De Fortaleza, outros artistas como, Conceição Almeida, Ivo Sousa, Gisele e Francisca Pérsico, participaram do encontro. A casa do Sítio Aroeira acolhe a todos. O almoço é uma festa comunitária, da partilha. Parentes e vizinhos celebram a vida.

Neste ano, a novidade foi a presença do bispo da Diocese de Iguatu, dom João Costa, e do padre Lázaro Augusto, da Paróquia de Senhora Sant´Ana. Os sacerdotes ofereceram cesta de alimentos e uma partilha financeira para a jornada.

Intercâmbio

A programação incluiu também oficinas de confecção e manipulação de bonecos e canto coral. Um grupo de visitantes do Espírito Santo veio conhecer o projeto. Zé Vicente e Ivo Souza gravaram uma entrevista com o primeiro bispo da Diocese de Iguatu, dom José Mauro Ramalho, com seus quase 85 anos de idade, e apaixonado por música. "O documento sairá em breve, na série memórias do Sertão Vivo", adiantou Zé Vicente.

A jornada inclui a celebração das memórias do bispo dom Oscar Romero, no seu aniversário de martírio. Houve também homenagem a Zé Martins, cantor e animador das comunidades rurais, falecido em outubro de 2009.

O "Bando do Padim Vô", grupo de sete jovens, vindos de Camaçari (BA), participou neste ano da Jornada. Eles percorreram quase mil quilômetros, para um encontro marcante, pois o coordenador do grupo, Enoque Norberto, havia monitorado a primeira oficina de flauta-doce na primeira Jornada realizada em 2006.

A programação também incluiu trilha ecológica pela reserva de Caatinga natural, que o Projeto Sertão Vivo está preservando no Sítio Aroeiras.

Mais uma vez, a Jornada de Arte no Sertão despertou o riso em cada rosto, provocado pelo grito dos bonequeiros e bonequeiras mirins. O coro de palmas para marcar o jogo dos capoeiristas. A atenção participada nas músicas do "Bando do Padim Vô" e o encontro no palco livre, com Zé Vicente e o grupo de Canto local. O encerramento, já é tradição com a ciranda, que marca a festa das artes da Jornada na Roça, com um novo refrão, tema deste ano: "A arte do bem viver, pro Sertão Vivo crescer!".

"Temos a certeza de que o sentido especial desses eventos do projeto precisa ser mesmo um encontro informal, a leveza, o repouso e o convívio entre artistas, famílias do sertão, parceiros e a troca e partilha de nossas criações e descobertas", disse Zé Vicente. Os organizadores anunciaram a produção de um DVD mostrando a experiência de várias jornadas no sertão de Orós.

Esta é apenas uma prática que enfatiza o quanto o sertão e a convivência com o semiárido podem ajudar a pensar em novas práticas de relacionamentos entre sociedades.

Honório Barbosa
Repórter

CRIATIVIDADE
Oficinas e teatro marcam encontro

Jovens do Ceará e Bahia participaram de atividades de pintura e encerraram o encontro com musical

Orós As oficinas de teatro de bonecos, feitura de cartões ecológicos, desenhos e pinturas, na parede da Casa de Artes, monitorados pelo Ivo Souza, motivam os jovens que abrem o espírito num processo de criação espontânea e coletiva.

Até o motorista, identificado apenas por Severino, que veio com o grupo baiano, surpreendeu e se destacou, deixando uma pintura em um painel para o Projeto Sertão Vivo.

A vivência musical foi assumida pelo grupo de canto Sertão Vivo, com a troca de experiência com o ´Bando do Podem Vão´. A mistura de sons da Bahia e do Ceará foi animada. A programação oferece também oficinas de produtos de limpeza, pintura em tecido e de criação de artesanato, com diversos materiais, como cipós, fitas e penas.

As atividades artísticas atraíram a visita de professoras da Escola Isaías Cândido, do distrito Guassussê, que se dividiram, acompanhando as várias oficinas. Houve retribuição. Na escola, onde cerca de 180 alunos estavam presentes, os monitores de arte fizeram desenhos e rápidas oficinas de teatro de bonecos e música.

Para encerrar as atividades, houve uma pequena exposição preparada, no alpendre da casa, com fotos das atividades do Projeto Sertão Vivo, e cartões ecológicos, criados desde 1996, na época com a presença da artista Elda Broilo. Mostra de camisetas e tecidos pintados, velas e remédios caseiros. Uma banca com produtos de limpeza foi instalada sob uma árvore.

Na varanda da casa de Ézio Barros e Denir, o cenário para os bonecos. No centro do terreiro, a roda de capoeira do grupo Água de Beber, de Guassussê. Na esquina das pinturas, o palco para a música. Foi o cenário para o encerramento da festa com um cortejo, com mais de 100 participantes, que seguiram o estandarte de São José, o padroeiro da comunidade.

MAIS INFORMAÇÕES 

Projeto Sertão Vivo
Município de Orós
Zé Vicente

regional@diariodonordeste.com.br
Fonte: Jornal Diário do Nordeste - Caderno Regional - http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=773681

Um comentário:

mestry badahra disse...

através do acaso, liguei o radio e anotei o endereço, dito, por um mega interprete e poeta, que acompanha um padre,em shows etc .
E já abri no Google, esta mega pagina, e fiz um comentário na pagina do blog .Porem agora registro aqui , a minha surpresa e grande satisfação, de conhecer uma iniciativa deste projeto.

Meus parabéns a equipe que montou a pagina O Brasil e nosso nordeste , precisaria de multiplicar ideias felizes como esta sertão vivo, ai Em Orós do meu Ceará, terra do meu ídolo (Raimundo Fagner )
Sou agora um divulgador voluntario aleatório e sem compromissos desta opção.
Disponham aqui da gente .
mestry badahra
mestrybadahra@ Hotmail.com
Skype mestry160
fone 27-3327-3584, de 8 as 00 hs diariamente - Vitoria ES